/images/banners/minas_on_line/minasonline.png

Diretor da Fhemig recebe imprensa para falar das vítimas de acidente do Acre transferidas para o HJXXIII

O diretor assistencial da Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig), Marcelo Lopes Ribeiro, recebeu a imprensa no prédio da Administração Central da Fundação para esclarecer sobre a chegada das vítimas da explosão de um barco que fez 18 vítimas em Cruzeiro do Sul, no Acre, para o Hospital João XXIII (HJXXIII), na manhã desta terça-feira, 11, às 5h30. A unidade da Fhemig, que é referência nacional no tratamento de queimados, recebeu duas vítimas: uma do sexo masculino, de 45 anos, com 80% do corpo queimado; e uma de 3 anos e 4 meses, com 24%, ambas em estado grave. A previsão é que outras cerca de seis vítimas sejam transferidas ainda hoje para unidade, trazidos pela Força Aérea Brasileira (FAB). As demais deverão ser encaminhadas para Brasília e, possivelmente, Goiânia.

O diretor esclareceu que o pedido de ajuda veio no domingo, dois dias após o acidente. “Como não seria possível enviar equipe médica daqui para o local, sem deixar a unidade desfalcada, e a situação de lá era calamitosa, sem a expertise e o equipamento necessário para atender as vítimas, o HJXXIII acionou o Plano de Atendimento a Múltiplas Vítimas (Planvi), para que conseguíssemos atender o maior número possível de pacientes”, contou. Segundo Marcelo, ao ser acionado o plano, uma equipe de inteligência possibilita obter os melhores recursos e realizar o melhor atendimento a essas pessoas. “Como o Planvi, atualmente, engloba parceiros da Região Metropolitana, além dos hospitais da Fhemig, também conseguimos ajuda com insumos e equipes”, explicou.

Marcelo destacou ainda que a vinda das vítimas de outro estado não prejudica o atendimento dos mineiros. “Nós não reservamos leitos para atender as vítimas que estão vindo do Acre. Nossos leitos continuam sendo ocupados por pacientes daqui. O que estamos fazendo é otimizando leitos e transferindo pacientes estáveis para outros hospitais da Rede Fhemig. Ou seja, fazemos um remanejamento de leitos, e vamos continuar atendendo a todos, sem deixar ninguém ‘descoberto’ ”.

Ele aproveitou a oportunidade para lembrar a dívida de Minas Gerais com o país, que recebeu ajuda de vários estados na ocasião do rompimento da barragem de Brumadinho. “Agora é a nossa vez de ajudar”, afirmou o diretor.

Família

Os familiares das vítimas transferidas para o HJXXIII estão sendo encaminhados para casas de apoio na capital, onde recebem café da manhã e toda a estrutura para permanecerem na cidade.

Números

A Unidade de Tratamento de Queimados (UTQ) do Hospital João XXIII possui 33 leitos, sendo 9 de terapia intensiva e 24 de terapia semi-intensiva, distribuídos em dois andares. Somente até maio de 2019, foram atendidas 897 pessoas, na unidade, vítimas de queimadura. Ao todo, em 2018, foram 2256 pessoas atendidas. O líquido livre continua sendo o principal motivo dos acidentes com queimaduras sofridos pelos pacientes da unidade.

   Twiter Facebook   

 ouvidoria

Ensino a Distância