/images/banners/minas_on_line/minasonline.jpg

Fhemig inicia projeto Paciente Mais Seguro em unidades



A Diretoria Assistencial (Dirass) da Fhemig realizou, no dia 1º de março, o evento de lançamento do projeto Paciente Mais Seguro, no auditório do Hospital Maria Amélia Lins (HMAL), em Belo Horizonte. Estiveram presentes o vice-presidente da Fhemig, Alcy Moreira dos Santos Pereira; o diretor assistencial da Fhemig, Antônio Fernandes Lages; além de representantes das unidades assistenciais da Fhemig.

A ação é uma extensão do projeto Paciente Seguro para o qual a Maternidade Odete Valadares (MOV) foi uma das 15 instituições do Brasil selecionadas pelo Ministério da Saúde, em 2017. A iniciativa foi desenvolvida por meio do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (PROADI-SUS) e coordenada pelo Hospital Moinhos de Vento, de Porto Alegre – RS, cuja finalidade foi contribuir para a qualificação do cuidado em estabelecimentos de saúde.

Agora, uma equipe da MOV formada pelos servidores Núbia Ávila, gerente assistencial; Karina Lemos Guedes, coordenadora do Núcleo de Segurança do Paciente; Jose de Cássia Rocha e Silva, enfermeira intensivista do Núcleo de Educação Permanente (NEP); Carolina Pedrosa, enfermeira da Qualidade; e Nelson Machado do Carmo Júnior, farmacêutico clínico, será responsável por reproduzir essa metodologia junto às unidades da Fhemig.


Equipe da MOV será responsável por repassar a metodologia aos hospitais da Fhemig

Em um primeiro momento, irão participar do projeto apenas os hospitais da Fhemig de BH e região metropolitana (exceto Hospital João XXIII, Júlia Kubitschek e a própria MOV– que já estão participando de outro projeto nessa área junto ao Ministério da Saúde: o ‘Melhorando a Segurança do Paciente em Larga Escala no Brasil’). Foi estabelecido também um comitê central, com membros da Dirass, que irão dar suporte às unidades e alinhar as ações do projeto.

O encontro teve como objetivo apresentar a metodologia às unidades e promover a sensibilização das pessoas envolvidas no projeto. Os representantes dos hospitais também puderam se apresentar e relatar sobre a realidade da segurança do paciente nas unidades em que atuam.

O vice-presidente da Fhemig, Alcy Pereira, ressaltou que a segurança do paciente é uma temática que deve ser lembrada constantemente. “Hoje estamos lançando uma proposta de trabalho que precisa contar com uma atitude proativa por parte das equipes assistenciais. Muitas das nossas ações estão sujeitas a riscos; é algo inerente ao ofício. Precisamos atuar no sentido de minimizar esses eventos adversos ou danosos, já que a grande maioria deles é previsível e prevenível. É um trabalho que começa e não acaba”, ressaltou.



Para vice-presidente da Fhemig, segurança do paciente deve ser lembrada constantemente

A gerente assistencial da MOV, Núbia Ávila, falou sobre diversos aspectos da segurança do paciente e sobre a inserção da maternidade no projeto. “Participar dessa iniciativa foi uma grande oportunidade para a MOV. E agora temos a chance de disseminar esse conhecimento para os demais hospitais da Fhemig. Nosso objetivo primordial é aprimorar as taxas assistenciais seguras nas unidades, em concordância com o Programa Nacional de Segurança do Paciente. A responsabilidade por melhorar essa meta é de todos, inclusive do próprio paciente e da família”, disse.

Para a coordenadora do Núcleo de Segurança do Paciente, Karina Lemos Guedes, o engajamento é fundamental para que o projeto dê certo. “Infelizmente, a segurança do paciente não é um tema discutido em muitos hospitais por ainda termos uma cultura punitivista, em que falar de erro é um tabu. Bons profissionais também erram. A segurança do paciente também é segurança do profissional. O grande desafio é fazer com que as pessoas se abram para um assunto que incomoda muito. A maioria dos erros vem de processos mal desenhados e não das pessoas. É preciso identificar a causa raiz para que não aconteça novamente”, explicou.

A coordenadora apresentou ainda alguns dos processos que foram aperfeiçoados na MOV no ano passado, como a dispensação de medicamentos, a identificação de pacientes, a higienização correta das mãos e a realização da semana de segurança do paciente, por exemplo.

Foi realizada ainda uma atividade direcionada aos representantes das unidades em que foi proposto que cada equipe discutisse as expectativas em relação à participação no projeto e, em seguida, elaborasse uma frase que estivesse relacionada ao objetivo do hospital, em 2018, para a segurança do paciente.

FHEMIG nas redes sociais

   Twiter Facebook   

 ouvidoria

Acesso Rapido